Biologia
Felipe AntunesPor: Felipe Antunes
04/05/2020- 02:29:17 - Atualizado :01/08/2020- 01:10:44
-
Tam. da fonte
+
Com contraste
Sem contraste

Por: Fernanda Campos (Proffer)

Durante as primeiras semanas de 2020, o mundo evidenciou o surgimento de um novo patógeno humano que transcendeu a barreira zoonótica de forma suficientemente eficiente para causar um surto.

O QUE É

O Coronavirus de 2019 é um novo membro de um grupo, que inclui patógenos zoonóticos reconhecidos anteriormente, como é o caso do Coronavírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV), que causou epidemias na China em 2002-2003, e no Oriente Médio Síndrome Respiratória Oriental (MERS-CoV), que afetou a Arábia Saudita e países vizinhos em 2012-2013.

Desde dezembro de 2019, foram relatados muitos casos coletados de "pneumonia viral desconhecida", inicialmente relacionados à exposição no Huanan Seafood Market, Wuhan, China. Um novo coronavírus foi detectado, capaz de infectar seres humanos, em 6 de janeiro de 2020. Até 7 de fevereiro de 2020, havia 43103 casos confirmados com pneumonia 2019-nCoV (COVID-19) em 25 países.

Semelhante a outras pneumonias coronavirais, como síndrome respiratória aguda grave causada por coronavírus e coronavírus da síndrome respiratória do Oriente Médio, o COVID-19 também pode levar à síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA).

Com o reconhecimento gradual da pneumonia por COVID-19, o consenso, as diretrizes e os critérios profissionais foram estabelecidos com o objetivo de impedir a transmissão e facilitar o diagnóstico e o tratamento.

O Coronavírus é um vírus de RNA, hélice única, que gira em sentido positivo (horário) e disperso principalmente por morcegos. Sua manifestação patológica é de gravidade variável. Sua apresentação como vírus de RNA, propicia grande variabilidade genética, já que, as ferramentas de controle de mutação nesse caso são mais escassas. O nome Corona é proveniente da forma redonda do vírus e suas espículas as quais dão uma aparência de coroa ao microorganismo ao micrposcópio.

Na literatura publicada recentemente, a imagem radiológica típica da pneumonia por COVID-19 demonstrou clara destruição do parênquima pulmonar, incluindo inflamação intersticial e consolidação extensa, semelhante à infecção pelos vírus da mesma família relatada anteriormente. No entanto, alguns pacientes com pneumonia por COVID-19 não demonstraram consistentemente hipoxemia (falta de oxigenação adequada para os tecidos) ou dificuldade respiratória durante o curso da hospitalização.

 

A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. No entanto, como lembrete, é sempre recomendável ações preventivas diárias para ajudar a prevenir propagação de vírus respiratórios, incluindo:

  • lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, principalmente após ir ao banheiro; antes de comer; e depois de assoar nariz, tossir ou espirrar.
  • Se água e sabão não estiverem prontamente disponíveis, use um desinfetante para as mãos à base de álcool pelo menos 70% ou álcool 70%.
  • Lave sempre as mãos com água e sabão se as mãos estiverem visivelmente sujas.
  • Evite tocar nos olhos, nariz, e boca com as mãos não lavadas.
  • Evite contato próximo com
    pessoas que estão doentes.
  • Fique em casa quando estiver doente. Cubra a boca quando tossir ou espirre com um lenço de papel e jogue-o no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies frequentemente tocados usando um spray ou pano de limpeza doméstico comum. 
  • Se for necessário sair de casa, use a máscara.
  • Evite repassar fakenews.

 

TRATAMENTO

Não há tratamento antiviral específico atual recomendado para infecção por nCoV. As pessoas infectadas devem receber cuidados de suporte para ajudar a aliviar os sintomas.

Para casos severos, o tratamento deve incluir cuidados para apoiar a função dos órgãos vitais.

DICA DE ESTUDO

Preste atenção!

Para as provas devemos saber as características gerais do grupo dos vírus e as formas de prevenção da transmissão da doença. Além disso, é importante saber correlacionar o porquê dos vírus de RNA serem mais variáveis geneticamente ao seu processo de replicação dentro da célula!

VEJA MAIS

VEJA TAMBÉM

28/04/2022
Jogos comparativos
Jogos comparativosO precursor dos jogos cooperativos foi o educador americano Ted Lentz.